Senado aprova isenção fiscal para instrumentos musicais

Publicado em Dicas, Guitarras 25 de fevereiro de 2016 por

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (23) projeto (PLS 329/2015) do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) que concede isenção fiscal sobre instrumentos musicais. A matéria contou com relatório favorável do senador Cristovam Buarque (PPS-DF).

Pelo texto, a ser analisado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), fica concedida a orquestras e músicos profissionais isenção do Imposto de Importação incidente sobre instrumentos, equipamentos e acessórios que façam parte da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (Tipi). A proposta também prevê a isenção do PIS/Pasep Importação e da Cofins-Importação.

Isenção fiscal para importação de instrumentos musicais é aprovada.

As orquestras e os músicos deverão comprovar atividade profissional. Os músicos somente obterão a isenção para uso próprio uma vez a cada 36 meses na importação de instrumentos e uma vez a cada 24 meses para compras no mercado interno.

Essas restrições não se aplicam a acessórios para o instrumento, indispensáveis à sua manutenção.

O texto também determina que a alienação do produto adquirido, antes de 36 meses nos casos de importação, e antes de 24 meses nos casos de compra no mercado interno, a alguma pessoa que não satisfaça as condições legais, sujeitará o alienante ao pagamento do tributo dispensado, e atualizado, sem prejuízo das demais penalidades.

A proposta ainda prevê que os benefícios previstos só produzirão efeitos a partir do primeiro dia do exercício financeiro imediatamente posterior àquele em que o Poder Executivo estimar o montante da renúncia fiscal.O governo federal também deverá incluir nessa documentação um demonstrativo acompanhando o projeto de lei orçamentária, cuja apresentação se der após 60 dias da publicação da nova lei.

Fonte: Agência Senado

Os instrumentos dos Beatles: Gretsch Duo Jet

Publicado em Guitarras, Vídeos 23 de fevereiro de 2016 por

Continuando nossa série de posts sobre os instrumentos dos Beatles, desta vez temos a Gretsch Duo Jet, guitarra bastante utilizada por George Harrison.

 

Gretsch Duo Jet

 

Veja mais um video produzido pela banda Hey Jude, com Thomas Arques.

 

 

Os instrumentos dos Beatles: Rickenbacker 360/12

Publicado em Guitarras, Vídeos por

Para os Beatlemaníacos de plantão!

George Harrison using his Rickenbacker 360/12

O pessoal da banda Hey Jude, produziu diversos vídeos sobre os instrumentos utilizados pelos Beatles durante as gravações e shows.

Neste vídeo, o guitarrista da banda Thomas Arques (George Harrison), demonstra a fabulosa Rickenbacker 360/12. Uma guitarra marcante nas músicas do Fab Four.

Confira:

Slash faz shows no Brasil este mês

Publicado em Dicas 1 de março de 2015 por

Slash feat. Miles Kennedy & The Conspirators vão se apresentar no Brasil em Março de 2015. A banda fará apresentações em seis capitais do país: 14/03 – Rio de Janeiro, 15/03 – Belo Horizonte, 17/03 – Brasilia, 19/03 – Curitiba, 20/03 – Porto Alegre e 22/03 em São Paulo.

Slash

Os shows farão parte da tour de divulgação do novo álbum “World on Fire”, que será lançado no Brasil no dia 27 de outubro por seu próprio selo Dik Hayd International e distribuido pela Warner Music Brasil. O grupo revelou a capa do álbum World On Fire com design assinado pelo artista contemporâneo inglês, Ron English. Com a faixa-título como o primeiro single, o trabalho surge como seu terceiro álbum solo e o segundo de sua banda com Myles Kennedy (vocal), Brent Fitz (bateria) e Todd Kerns (baixo).

Os ingressos podem ser adquiridos aqui.

Klon Centaur Professional Overdrive – A lenda

Publicado em Efeitos 5 de agosto de 2013 por

Hoje vamos falar de um dos pedais mais desejados da atualidade: o Klon Centaur.

Lançado na década de 90, a equipe da Klon trabalhou exclusivamente no desenvolvimento deste pedal por quatro anos antes de estarem disponíveis comercialmente. A missão era simples – criar o melhor overdrive. Diferente das dimensões atuais e padronizadas dos pedais existentes no mercado, o box é feito de alumínio fundido, com qualidade impressionante. Tudo neste pedal foi pensado. Os knobs tem uma distância grande da chave seletora, assim você não pisa em cima dos controles e desconfigura tudo.

Klon Centaur

Klon Centaur

Klon Centaur

O Klon marcou o início de uma nova categoria para os pedais de Overdrive, com um som transparente e uma gama incrível de ajustes. Com o Gain ajustado para o mínimo ele soa como um clean boost. O Treble define o nível (de grave para agudo) e o Output aumenta o volume de saída.

Grandes músicos como John Mayer e Joe Perry tem este pedal em seu setup.

Como se tornou um pedal raro após o fechamento da fábrica, o Klon está sendo comercializado na faixa de 2000 dólares.

Sem dúvida um grande pedal!

Review: Charvel Desolation – DC1ST

Publicado em Guitarras 25 de junho de 2013 por

Pessoal, recebemos um equipo muito bacana para review: a guitarra Charvel Desolation DC1ST, distribuída oficialmente pela Sonotec.

Logo de cara ficamos impressionados com o acabamento da guitarra. Um tampo primoroso e completamente tigrado. A  DC1ST possui captação EMG 81 e 85 (ativa), escala em Rosewood e corpo em Mogno. Disponível nas cores BS (blue smear), TWR (wine red) e TBK (trans black), este modelo inclui ainda Neck-Through (braço inteiriço), 24 trastes Jumbo e tarraxas com trava.

A Charvel desenvolveu essa linha de guitarras com um custo acessível. O conjunto de recursos de cada modelo foi bem estudado pela marca e oferece qualidade e bom preço, deixando a relação custo-benefício atraente ao guitarrista.

Charvel Desolation - DC1ST

 

 

Uma guitarra versátil e com pegada rock ‘n roll. Com certeza cabe no seu som.

Fiz um teste em audio executando um trecho da música All Right Now do Free. Você pode conferir abaixo:


Sobre a Charvel
Presente no cenário mundial da música desde a década de 1970, a marca Charvel foi comprada pela Fender em 2002, quando diversas guitarras foram reformuladas e voltaram a ser fabricadas com materiais e acabamento de qualidade. A partir deste mês, a Charvel retorna ao Brasil como uma das mais tradicionais marcas no segmento, sendo distribuída com exclusividade pela Sonotec Music & Sound.

Guitarrista Guthrie Govan realiza workshops pelo Brasil

Publicado em Dicas 22 de maio de 2013 por

Por Lucas Ferracioli

Guthrie Govan nasceu em Chelmsford, Essex, na Inglaterra em 27 de dezembro de 1971. Recentemente, foi eleito o guitarrista do ano pela ‘Guitarist Magazine’s’, revista inglesa de referência para músicos no mundo.

Entre 2001 e 2006, Guthrie Govan tocou na banda Ásia. Com seu completo trabalho sobre o álbum ‘Aura’, foi acrescentado ao grupo para a linha de apoio na turnê do novo projeto. Já em 2006, com a saída do tecladista Geoff Downes, o Ásia teve uma reforma em seu line-up e Govan e o outros membros da banda, John Payne e Jay Schellen, formaram o GPS. Ainda em 2006, lançou seu primeiro álbum solo, Erotic Cakes.

Guthrie Govan

Guthrie Govan é conhecido pelos anos como professor de guitarra e por seu bom humor. Ele costuma interagir com o público e fazer piadas durante suas apresentações. “Guthrie Govan dá uma conotação positiva à palavra ‘fritação’”, diz Paul Gilbert, em matéria publicada pela Revista Guitar Player Brasil, em maio de 2012. “É reconfortante ouvir alguém tocar super-rápido e, ao mesmo tempo, com profundidade musical. Um sopro de ar fresco!”.

Gilbert não é o único herói da guitarra que admira o estilo de Guthrie Govan. “O que diferencia Guthrie”, salienta Joe Satriani, “é que não importa o que ele esteja fazendo – palhetadas, tapping, slap, ligados ou o que for –, ele mistura tudo de maneira elegante e domina totalmente cada abordagem. A música soa natural o tempo todo.”

Nos próximos dias, este fantástico guitarrista visitará o Brasil pela primeira vez, onde fará uma série de workshops no país. Segundo a Escola de Guitarra Luciano Alf, organizadora do evento, mais cidades foram adicionadas à programação inicial. Confira as datas (sujeitas a alterações):

24/05 – Brasília
A GTR Instituto de Música de Brasília (DF) realiza o workshop no dia 24 de maio (sexta-feira) a partir das 19h no Centro de Eventos Brasil, 21 – Teatro 3. Mais informações: http://www.gtr.com.br/ ou (61) 3245-7140.

25/05 – Rio de Janeiro
Em Campo Grande (RJ), a Escola de Guitarra Luciano Alf realiza o workshop no dia 25 de maio (sábado) a partir das 3h na Rua Luiz Barata, 164 – Sobreloja. Mais informações: http://www.escoladeguitarrala.com.br/ ou (21) 2412-0461.

26/05 – Florianópolis
A GTR Instituto de Música de Florianópolis (SC) realiza o workshop no dia 26 de maio (domingo) a partir das 4h no Florianópolis Palace Hotel, na Rua Artista Bittencourt, 14. Mais informações: www.gtrfloripa.com.br ou (48) 3024-0800.

27/05 – Curitiba
Em Curitiba (PR), o workshop será realizado no dia 27 de maio (segunda-feira) a partir das 20h, no auditório do Instituto de Música Airton Mann, na Rua Conselheiro Araújo, 336. Mais informações: www.institutoairtonmann.com.br ou (41) 3027-8179.

28/05 – Barra Mansa
Em Barra Mansa (RJ), Govan se apresenta na Setas Escola de Música no dia 28 de maio (terça-feira) a partir das 20h, na Rua Rio Branco, 35 – Edif. Hong Kong. Mais informações: www.setasam.com ou (24) 3324-1018.

29/05 – Juiz de Fora
A EMATECH Escola de Música de Juiz de Fora (MG) realiza o workshop no dia 29 de maio (quarta-feira) a partir das 19h30 na Mary Fest, localizada na Rua Coronel Pacheco, 110. Mais informações: (32) 3025-0318.

30/05 – Itajubá
No dia 30 de maio (quinta-feira), Govan se apresenta em Itajubá (MG) a partir das 20h no Gonfer Instituto de Música, na Rua Barão do Rio Branco, 197. Mais informações: www.gonfer.com.br ou (35) 3623-8567.

31/05 – Cachoeira Paulista
A Trilha Sonora Instituto de Música de Cachoeira Paulista (SP) realiza o workshop no dia 31 de maio (sexta-feira) a partir das 19h no Clube Literário da cidade. Mais informações: www.imts.com.br ou (12) 3103-3312.

01 e 02/06 – São Paulo
Nos dias 1 de junho (sábado), a EM&T de São Paulo (SP) apresenta o workshop de Guthrie Govan a partir das 15h. No dia 2 (domingo), o evento começa às 16h. As apresentações acontecem no Auditório Mix Music Hall, na Avenida Engenheiro George Corbisler, 100. Mais informações: www.emt.com.br ou (11) 5012-2777.

04/06 – Franca
A Select Music Center de Franca (SP) realiza o workshop no dia 4 de junho (terça-feira) a partir das 19h30 no Teatro Municipal. Mais informações: www.selectmusic.com.br ou (16) 3720-9799.

05/06 – Fortaleza
No dia 5 junho (quarta-feira), a Guitar Meeting de Fortaleza (CE) realiza o workshop de Guthrie Govan a partir das 19h30 no Teatro Marista, na Rua Visconde do Rio Branco, s/n. Mais informações: (85) 8899-4810.

06/06 – Guarulhos
A Escola de Música Cristã Verbo Vivo de Guarulhos (SP) apresenta o workshop no dia 6 junho (quinta-feira) a partir das 20h na sede da instituição, na Rua Dona Antônia, 593. Mais informações: www.escolademusicaverbovivo.com.br ou (11) 2441-0004.

07/06 – Montes Claros
No dia 7 de junho (sexta-feira), a turnê visita o W.A Musical Center de Montes Claros (MG) a partir das 19h30. O estúdio de gravação, onde acontece o evento, fica na Rua Dr. Aroldo Tourinho, 134. Mais informações: www.manuswa.com.br ou (38) 3223- 0656.

09/06 – Presidente Prudente
A Audiotech Music Store de Presidente Prudente (SP) realiza o workshop no dia 9 de junho (domingo) a partir das 15h no Teatro Municipal, na Avenida Coronel Marcondes, 120. Mais informações: http://audiotechstore.com.br/ ou (18) 3222-7899.

10/06 – Bauru
A turnê de Guthrie Govan termina no dia 10 de junho (segunda-feira) a partir das 20h, no Instituto Guitarisma de Bauru (SP), na Rua 13 de maio, 19-75. Mais informações: www.guitarisma.com ou (14) 3227-7108.

Site Oficial: http://www.guthriegovan.co.uk/

Veja o recado de Guthrie aos brasileiros:

Nova Charvel

Entrevista com o Guitarrista Fábio Santini

Publicado em Dicas, Entrevistas 10 de maio de 2013 por

Por Alice Nascimento - Jornalista

Fábio Santini1 – Com a sua experiência de mais de 20 anos de carreira como músico acompanhante, que diferenças você nota no mercado do tempo em que você começou para os dias de hoje?
De fato, o mundo mudou muito, a globalização, a advento da internet, o acesso facilitado a informação, a aquisição facilitada de mídias de uma forma geral, a pirataria, enfim, acredito que a internet trouxe uma nova atmosfera ao mundo e ao comportamento das pessoas. O mercado musical sofreu com essas mudanças ao longo desses vinte anos.

Há mais ou menos vinte anos, quando estava começando o mercado se comportava de uma maneira bem específica. A produção musical era bem mas intensa, jingles, produção de discos, espetáculos musicais, shows, enfim, o músico conseguia seu “ganha pão” trabalhando somente nesse segmento, gravando e acompanhando artistas.

Hoje o músico tem que ser versátil, e desempenhar varias funções pra sobreviver. O mesmo acontecia com aulas de música. Acredito que a procura por professores era bem maior nessa época. Não se tinha acesso às informações como temos hoje. Quando conseguíamos um método importado ou uma video aula de algum guitarrista estrangeiro, aquilo valia ouro.

Saudosismo a parte, mas isso não acontece hoje em dia. É só ligar o computador, seu tablet, ou celular e você tem disponível um universo inteiro de informações, video aulas, transcrições de músicas famosas, transcrições de solos de guitarristas famosos, cursos on line e etc… Essa facilidade de acesso interferiu na estrutura do mercado musical de uma forma irreversível. O que acontece é que o musico também tem que acompanhar as mudanças, se adequar, se aperfeiçoar, desenvolve novas habilidades e etc…

2 – Você também é produtor, arranjador e professor. Esse é um exemplo do músico dos tempos atuais: uma pessoa que exerce muitas funções… esse é o caminho para viver da música?
Acredito que sim. Cada vez mais o músico tem que desempenhar diferentes funções pra se estabelecer e se manter no mercado, o que não é fácil. Quanto mais habilidades se desenvolve e conhecimento se adquire, melhor. Hoje desempenho várias funções dentro do universo musical, o que reconheço me dá um certo prazer porque sempre gostei da diversidade.

Além de guitarrista, produtor, arranjador e professor, também escrevo métodos de guitarra, trabalho com transcrições, inclusive estou atualmente transcrevendo músicas da dupla Sá e Guarabyra pra compor um Song Book que será lançado pela Editora Vitalle.

Além disso também sou compositor e estou trabalhando no meu primeiro disco solo. Enfim, o músico que tiver mais habilidades estará melhor preparado pra enfrentar a concorrência no mercado e se estabelecer como profissional.

Acho também fundamental que hoje em dia o músico busque por uma formação acadêmica. Tive uma experiência muito enriquecedora na universidade de música, e aplico o conhecimento adquirido no meu dia a dia como músico até hoje.

3 – Que conhecimentos, além do próprio instrumento, você aconselha que o músico busque para exercer essas diferentes funções?
Acho que o músico tem que conhecer o básico de computação, dominar os softwares musicais, de gravação e transcrição pra poder desenvolver outros tipos de trabalho além de tocar a dar aulas de música.

Além disso tem que desenvolver conhecimentos de acústica, noções gerais de arranjo e produção, desenvolver sua percepção, capacidade de escrita e leitura musical.
Acredito que o desenvolvimento pessoal e profissional caminha juntamente com a capacidade de se adequar, modificar, de adquirir novas habilidades, com a aquisição de cultura e conhecimento, tudo isso fundamentado no prazer e amor pela vida e pela profissão.

4 – Conhecer ao menos o básico de outros instrumentos, além da guitarra, é uma boa dica também? Pq?
Sim, sem dúvida, principalmente quando se trabalha como arranjador e produtor. De uma forma mais sutil esse conhecimento também interfere na sua maneira de tocar e na maneira com que você reage e interage com a música e com os músicos que tocam com você.

5 – Atualmente, você toca com Sá & Guarabyra e com a Fabiana Bach, certo? Me fale um pouco do seu trabalho com cada um deles.
Me considero uma pessoa de sorte, porque sempre me envolvi com pessoas maravilhosas como artistas e como seres humanos.Todos os trabalhos em que me envolvi foram muito prazerosos e me proporcionaram muito aprendizado e conhecimento.

Toco com Sá e Guarabyra há mais ou menos cinco anos e me considero um afortunado por isso. Fizemos shows pelo Brasil inteiro, gravei o último disco, quando o Zé Rodrix ainda era vivo, o disco Amanhã. Tocar com eles é pra mim um imenso prazer porque antes de tocar com eles eu já era fã do trabalho. Já ouvia suas músicas e me deliciava com as
composições maravilhosas. Agora posso dividir o palco com esses artistas extremamente talentosos e generosos. Isso é pra mim uma grande realização e um grande prazer.

Além de tudo o ambiente de trabalho é muito bom. Toco com amigos que fazem parte da banda, Christiano Rocha, baterista de extremo talento e meu amigo há vários anos. Também na mesma banda, toco com Constant Papineau, tecladista, que já tocou com a dupla nos anos 70, um tecladista muito talentoso e um incrível ser humano, além do
baixista Pedro Baldanza, monstro do baixo que já acompanhou artistas de peso da música brasileira, só pra citar alguns, Elis Regina, Ney Matogrosso, Gal Costa, entre outros.

Não posso deixar de citar o produtor e empresário da banda, Chico Calabro, que foi o responsável por eu ter entrado na banda. Chico Calabro é de longe o melhor produtor com eu quem já trabalhei, e quero aqui ressaltar a importância do trabalho desse tipo de profissional. O Chico Calabro é um produtor que desempenha seu trabalho com extrema maestria e habilidade, sempre prezando pelo bem estar dos músicos, o que infelizmente é raro por parte dos produtores em geral no meio musical.

Há algumas semanas comecei a tocar com uma cantora muito talentosa, Fabiana Bach. É um imenso prazer poder fazer parte deste trabalho. É um trabalho de MPB muito requintado, composto por músicos que são meus amigos e profissionais muito talentosos, Claudio Machado no baixo, Vlad Rocha na bateria, Jonas Dantas nos teclados e Luciano
Khatib, percussão. O trabalho ainda está no início, ainda estamos ensaiando, preparando o repertório do show que deve estrear em breve e que tenho certeza, dará bons frutos.

6 – Me fale um pouco também sobre a rotina do sideman… as viagens, ensaios… como é a vida?
A rotina de trabalho do side man é um pouco cansativa e muito corrida. Chegamos na cidade onde se realizará o show, depois de uma viagem geralmente cansativa, já com o horário apertado pra passagem de som, que é sempre demorada, complicada e geralmente frustrante (rs), porque raramente conseguimos atingir um padrão de qualidade de som que gostaríamos. Apesar de tudo isso, acontece, na hora do show, uma mágica inexplicável e tudo dá certo.

Todo o cansaço vai embora e uma energia mágica toma conta de você durante o show inteiro.

O ensaio é parte do trabalho onde o músico desenvolve e solidifica a sua performance o que é essencial para que se tenha segurança na hora do show. Quando o artista te dá a liberdade pra criar e interferir na criação da música no que diz respeito à forma, o arranjo e etc, o ensaio se torna um trabalho muito agradável.

7 – Normalmente os músicos que você acompanha e já acompanhou te deram (ou dão) que espaço para você colocar a sua identidade no trabalho deles? (tanto nos shows quanto nas gravações). O que eles ganham com o seu trabalho?
Normalmente sim. É importante que o músico ache o ponto ideal, o equilíbrio entre o seu ego, a vontade de satisfazer a si próprio, e o desempenho que obrigatoriamente deve servir à música que executa. Quando se atinge esse equilíbrio a música cresce e aflora enquanto manifestação genuinamente artistica. Alias acho que o grande instrumentista não deve colocar seu ego acima da música. Acho o equilíbrio o ponto de sabedoria.

8 – Palco e estúdio é diferente, certo? No palco, dá para tocar de forma mais livre? Dá para colocar um pouco mais de você?
Sim, são trabalhos bem diferentes. De fato no palco você fica mais livre e tem aquela energia mágica qua já mencionei. Mas o trabalho em estúdio não é menos empolgante. É um trabalho desafiador que testa seus limites, é sempre uma corrida contra o relógio.

No estúdio você tem que ser rápido e resolver a questão. Tem que ter um “feeling” pra entender rapidamente o que o produtor deseja e colocar sua emoção na execução com uma precisão que é muito mais necessária e aguçada do que no palco. No estúdio você toca com uma certa pressão porque você deve errar o menos possível. É importante que o músico saiba lhe dar com essa pressão e que transforme essa emoção em algo positivo para a sua performance.

9 – Para quem quer desenvolver um trabalho próprio como instrumentista, ser sideman ajuda a ganhar conhecimento e credibilidade no mercado? É um bom caminho?
Sem duvida ajuda, mas não é o único caminho. Conheço guitarristas que fundamentaram sua carreira no trabalho autoral, no trabalho próprio e se deram muito bem. Não existe propriamente um caminho. A credibilidade vem com o tempo e só acontece quando o músico acredita no seu trabalho, na sua capacidade e se dedica ao seu aperfeiçoamento sempre, sem descanso.

10 – Você tem trabalho autoral?
Tenho algumas composições que farão parte do meu primeiro disco solo, que acredito, devo começar a produzir ainda neste ano, quem sabe ainda no primeiro semestre.

11 – Como entrar no mercado? Que dicas você daria para o músico chegar a tocar com grandes nomes?
Eu diria que existe uma questão fundamental no que diz respeito ao ingresso no mercado de trabalho, não só musical, mas no mercado de uma forma geral. Para ingressar no mercado e se estabelecer nele é preciso antes de mais nada ser competente, e competência se adquire com esforço, dedicação, muito estudo e paciência, porque tudo isso leva tempo. O mercado musical tem uma peculiaridade que o difere dos outros.

Geralmente os trabalhos são conquistados por intermédio de alguém, uma indicação. E nesse caso mais, do que nunca, a competência é fundamental, porque alguém só te indicará se tiver certeza absoluta que você dará conta do recado, porque o nome de quem indica também está em jogo, o nome do indicador está de certa forma relacionado ao
sucesso ou não do indicado.

O lado bom de tudo isso é que quanto mais competente, mais indicações surgirão, portanto tenha como meta ser bom, o melhor que você puder. Além do mais, é importante que se tenha um bom relacionamento, baseado na ética e no respeito, com seus colegas de trabalho.

12 – Que outras dicas você daria para quem quer seguir a profissão?
Estude muito, ame a música e a sua profissão e todas as coisa boas virão naturalmente com o tempo.

BIO – Fábio Santini
Músico profissional desde 1989, Fabio Santini é professor de música, guitarrista, produtor e arranjador.  Atualmente é professor de guitarra no IG&T, professor de guitarra e coordenador da Escola de Música Voice. Autor do método “Guitarra Fusion” editado pela EMT e do Song book de Sá e Guarabyra, ainda em fase de edição pela editora Vitale, Fabio Santini também atua como guitarrista no cenário musical já tendo acompanhado artistas como Oswaldinho do Acordeon, Elba Ramalho, Laura Finocchiaro,Celinha (Fat Family), Sivuca, Fernanda Porto, Celso Pixinga, Mozart Mello entre outros. Atualmente é guitarrista da banda de  Sá & Guarabyra.

 www.fabiosantini.com.br

 

Promoção: Guitar Blog e Sonotec vão te dar um pedal Danelectro D-03

Publicado em Dicas, Efeitos 15 de março de 2013 por

Promoção Guitar Blog e Sonotec

O Guitar Blog e a Sonotec vão te dar um pedal Danelectro D-03!!!

Para participar você precisa:
- Curtir a fan page do Guitar Blog (https://www.facebook.com/GuitarBlogBR)
- Curtir a fan page da Sonotec (https://www.facebook.com/sonotecbrasil)
- Compartilhar a imagem da promoção
- Clicar na aba promoções na página do Guitar Blog no Facebook e participar!

O Sorteio acontece no dia 29/03/2013 às 14h, através da plataforma Sorteie.me. O resultado será divulgado no feed do Guitar Blog.

Danelectro 59 Modified DC – Review

Publicado em Dicas, Guitarras, Vídeos 6 de março de 2013 por

Bom pessoal, esse é o nosso primeiro review em vídeo! Vamos falar da Danelectro 59 Modified DC.

A lendária Danelectro 59 DC teve sua ponte alterada por Jimmy Page, ao instalar um modelo mais moderno. O modelo apresenta todos os recursos originais da 59 DC original, incluindo o cabeçote garrafa e fita textura borda lateral, mas a ponte instalada melhora a entonação e a tocabilidade. A 59 DC modificada possui 2 captadores Lipstick single, controles de volume e tonalidade individuais por captador e chave seletora de 3 posições, além de braço em Maple e escala em Rosewood.

Danelectro 59 Modified DC

Além de Jimmy Page, outros artistas consagrados já usaram o modelo: Elvis Presley, Syd Barret (Pink Floyd) e Johnny Ramone (Ramones).

Veja abaixo nosso review em vídeo:

Mais infos você pode encontrar aqui.

Página 1 de 41234